E Zás #67: João Paulo Nascimento, Projeto Mujique, Futuro e CaGeBê

1. Dois amigos e artistas graúdos de Pozalégui tão com uma ou duas novidades na praça!

João Paulo Nascimento é maestro, produtor musical, ex-MC do notável combo rap La Tropa e um dos sujeitos mais sangue bom do planeta. Poderia gastar o teclado falando dele, mas pro momento, basta sentir o drama das peças para piano que ele anda criando:

Outro que não brinca em serviço é o incontornável Projeto Mujique (da foto do post), um dos mais inquietos e inventivos criadores de música eletrônica do país, incorporando de forma muito única, a moda de seu mentor Psilosamples, música e sabores brasileiros. E não chama atenção só no Brasil, não: participou de bons festivais locais e já teve música em coletânea de nossos hermanos mexicanos e recentemente teve um set todo publicado por selo gringo, por exemplo.

“Respeito (Substantivo e 1°Pessoa) é assombro o suficiente em uma faixa pra qualquer um se interessar e vasculhar seu soundcloud e seus trabalhos lançados pelo elegante selo Galope Discos.

2. Futuro é o quarteto paulistano que recentemente estampou a capa da última Maximun Rocknroll e tá com um DISCAÇO (pra mim, o melhor da banda disparado!) novo na praça, A Torre da Derrota. Punk garageiro com produção impecável!

3. “O vídeo relata a luta dos alunos secundaristas que em 2015 ocuparam mais de trezentas escolas publicas me São Paulo” – é como o grupo de rap CaGeBê, tradicional força sóciopolítica da zona Norte paulistana, descreve o vídeo da faixa “Nota Zero e Meio”, com beat de Sem Grana e uma ideia PODEROSA, DIRETA e muito,MUITO INFORMADA sobre a realidade.

SERIÃO, desde o álbum lançado coisa de 10 anos atrás pelo selo Equilíbrio, do KL Jay, acho o grupo muito acima da média e com lenha pra queimar. Nesses últimos anos onde os “branquinhos do shopping” tomaram de assalto o gênero e a temática das letras parece centrada em marra, farra e brasa (de péssima qualidade, é de se supor…),o CaGeBê parece cada vez mais oportuno!

Anúncios