plusultra

Cinema em Casa: Plus Ultra Produções

(acima: cena do curta “Chega Mais”, do grupo Plus Ultra)

O Bernardo Oliveira (que comanda o ótimo blog Matéria) além de ser o sósia perfeiro do Jorge Aragão na juventude, é o único cara que conjuga “estudos pesados em Nietzsche”, “samba”, “música experimental” e “zirigidum” em uma única persona. Como se fosse pouco, virou meu chapa, experimentou a sensação de viver alguns dias na idílica Heliodora, e vez por outra me apresenta algo fantástico que só fortalece a mitologia carioca como um lugar único na Terra. É o caso dessa produtora Plus Ultra.

Vi todos os filmes deles que estão no youtube e recomendo os que vão abaixo, acompanhados de suas descrições. Destaque absoluto (COMO É LINDO!!) para o filme Caximbau.

CAXIMBAU

Quinhentos anos após serem descobertos, os brasileiros permanecem desconhecidos! Uma nave de ferro abandonada e digerida pela comunidade local da Baia de Guanabara, Rio de Janeiro. Terceiro mundo. Um ponto de encontro, um clube masculino de jovens. Meninos marginalizados transformam o lixo de uma sociedade industrial decadente em puro divertimento. Ironia acida e ferrugem. Óleo queimado e o mar.

KARAJÁS

Quinhentos anos de genocídio, preconceito e muita ignorância; o índio brasileiro sobrevive marginalizado no território nacional. A falta de uma política saudável de integração cultural e a corrupção nas instituições governamentais de auxílio ao índio fazem desaparecer o que ainda nos resta de nossos antepassados. Esse trabalho é uma iniciativa minúscula e independente de registrar parte dos festejos do Aruanã, depoimentos e o dia a dia dos habitantes da ilha do bananal. Aruanã é antes de mais nada um ato de resistência e auto preservação. Uma das últimas manifestações da cultura antiga dos índios Karajás.