indios002

E… Zás!! #7 – Uma geral no que anda rolando!

1. Três abordagens distintas e interessantes sobre o tópico “Revolução”

a. Essa comédia canadense faz troça com a biografia de León Trotsky, colocando um homônimo do revolucionário russo como filho de um industrial que acorda pra realidade da luta de classes, por assim dizer:

b. Kanye West mandou a pedrada “No Church In The Wild” e eu ainda não havia visto o clipe pique agitprop:

c. Saindo da esfera da indústria cultural, salto para trecho de conferência de Noam Chomsky, o maior intelectual público de nosso tempo. Possivelmente uma militante dogmática marxista o indaga sobre Lênin e Trotsky e em poucos minutos ele dá uma aula de como a máquina de propaganda do capitalismo ocidental e a da União Soviética criaram um falso consenso a respeito do que faz de um Estado um Estado socialista.

2. A música do Norte do Brasil ganhou tons de “aceitável para as massas” com a ascensão de Gaby Amarantos e artistas menos pop como Felipe Cordeiro e Waldo Squash, por exemplo. Mas Alípio Martins já ensaiara uma conquista do Brasil com seu hit malandro “Piranha”. Abaixo, nos Trapalhões e em cover do Conjunto Rock Merda, tirado de seu último álbum, Índio Cocalero, quase uma ópera rock fanfarrona sobre a questão indígena.

3. Para nossa alegria, TODOS os filmes do mestre Rogério Sganzerla no youtube aqui! Recomendo absolutamente TUDO! Sganzerla é meu cineasta predileto brasileiro e sua obra cala fundo sobre o país de maneiras diversas. Se quer uma dica, comece pelo O Bandido da Luz Vermelha, que se não é o melhor filme dele (e olha que é FANTÁSTICO), teve o mérito de colocar na boca do povo muito da síntaxe da cultura marginal local.

4. Stevie Wonder e sua fantástica “Superstition” botando a criançada pra sacolejar no antológico Sesame Street. É muita alegria de viver em apenas 6 minutos!

5. A questão indígena no Brasil entra ano sai ano, acaba por surgir nos noticiários de diversas maneiras – geralmente dizendo respeito à falta de respeito em relação aos direitos dos povos originários. Acontece que nas redes sociais, destros e canhotos, tendem a se expressar dentro de termos que pouco dizem respeito à realidade concreta do assunto. E desinformação, mesmo quando tendem a contemplar o que você acha legal ou correto, nunca é bom – vide o vídeozinho do Chomsky acima. Sendo assim, #ficaadica do site sobre o pensamento indígena do grande Eduardo Viveiros de Castro. Para o bem da razão e para evitar que vire motivo de vergonha alheia para seus amigos mais esclarecidos, gasta um tempinho vendo estes vídeos.

http://vimeo.com/53362506

6. Por fim, um artigo muito bacana sobre o músico Morton Feldman.